O  Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil aprovou requerimento para permitir que, excepcionalmente, a Comissão Nacional da Advocacia Jovem seja presidida por um dos presidentes das Comissões de Apoio à Advocacia Jovem das Seccionais, à escolha do presidente do Conselho Federal.

Assim como a CNMA é presidida por uma mulher, a Comissão de Diversidade Sexual e de Gênero por um LGBT, a da Igualdade Racial por um negro, a da Advocacia Jovem deve ser presidida por um jovem presidente.

A alteração ao Provimento Nº 115/2007, acresce o “parágrafo único” em seu artigo 1°, que versa sobre designação dos Presidentes das Comissões permanentes deste Conselho Federal, com a seguinte redação:

“Art. 1º As Comissões Permanentes do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, cujos membros serão de livre designação e dispensa pelo Presidente, deverão ser presididas por Conselheiros Federais, efetivos ou suplentes, Membros Honorários Vitalícios do Conselho Federal e agraciados com a Medalha Rui Barbosa, são assim definidas:

Parágrafo único: Excepcionalmente, a Comissão Nacional da Advocacia Jovem deverá ser presidida por um dos Presidentes das Comissões de Apoio à Advocacia Jovem das Seccionais, à escolha do Presidente do Conselho Federal.”

Com informações da ASCOM/OAB-DF – Foto: Pressfoto/Freepik.com